top of page

Tipos de Conhecimento de Transporte Eletrônico

Existem diferentes modelos de emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e), cada um adequado a um tipo específico de transporte de cargas. Aqui estão alguns dos modelos mais comuns:


"Normal:

Visa cobrir a operação comum de transporte de mercadorias, na qual uma empresa contrata uma transportadora para realizar o transporte da carga desde o início até a entrega ao destinatário."


Subcontratação:

A subcontratação ocorre quando estão envolvidas ao menos duas transportadoras no processo de entrega, onde somente uma cobre todo o trajeto do transporte.


Neste caso, a transportadora contratante (prestadora original do serviço) possui a responsabilidade perante o cliente (remetente) de fazer a mercadoria chegar até seu destino final (destinatário).


A transportadora contratada, conhecida como subcontratada, por sua vez, estabelece uma relação jurídica exclusiva com a transportadora contratante.

CT-e do Contratante

Emitente do CT-e: Transportadora A (22222222222222)

Início e término da prestação: De Piracicaba-SP até Maringá-PR

Remetente (Tomador): Indústria X  (11111111111111)

Destinatário: Indústria Y (44444444444444)

Recebedor: Transportadora B (33333333333333)

Tipo de Serviço: Normal


CT-e do Subcontratado

Emitente do CT-e: Transportadora B (33333333333333)Início e término da prestação: De Piracicaba-SP até Maringá-PRRemetente: Indústria X  (11111111111111)Destinatário: Indústria Y (44444444444444)Expedidor (Tomador): Transportadora A (22222222222222)Tipo de Serviço: SubcontrataçãoDocumento Anterior: Transportadora A (22222222222222)Chave de acesso do CT-e referenciado (redespachante) : Chave do CT-e emitido pelo Contratante


Dacte

O Dacte deve acompanhar a carga deste o início da prestação até o destino final. Neste caso como se tratam de dois CT-e's, os dois devem acompanhar a carga. 


Redespacho: 

O redespacho ocorre quando estão envolvidas ao menos duas transportadoras no processo de entrega, onde uma presta somente parte do serviço, contratando outra para realizar parte de uma prestação de serviço, independentemente se ela for a inicial, intermediária ou final do transporte.

Neste caso a transportadora contratante (prestadora original do serviço) é conhecida como redespachante e possui a responsabilidade diante do cliente (remetente) de fazer a mercadoria chegar até seu destino final (destinatário). Já a transportadora contratada é chamada de redespachada e possui relação jurídica exclusiva com a transportadora contratante.

CT-e do Redespachante

Emitente do CT-e: Transportadora A (22222222222222)Início e término da prestação: De Piracicaba-SP até São Paulo - SPRemetente (Tomador): Indústria X  (11111111111111)Destinatário: Indústria Y (44444444444444)Recebedor: Transportadora B (33333333333333)Tipo de Serviço: Norma


CT-e do Redespachado

Emitente do CT-e: Transportadora B (33333333333333)Início e término da prestação: De São Paulo - SP até Maringá-PRRemetente: Indústria X  (11111111111111)Destinatário: Indústria Y (44444444444444)Expedidor (Tomador): Transportadora A (22222222222222)Tipo de Serviço: RedespachoDocumento Anterior: Transportadora A (22222222222222)Chave de acesso do CT-e referenciado (redespachante) : Chave do CT-e emitido pelo Redespachante


Dacte

O Dacte deve acompanhar a carga deste o início da prestação até o destino final. Neste caso como se tratam de dois CT-e's, os dois devem acompanhar a carga.



Redespacho intermediário:

O redespacho intermediário é semelhante ao redespacho, porém há uma terceira transportadora envolvida na operação de transporte.

Esta terceira transportadora é responsável por realizar um trecho intermediário, dividindo o transporte em três etapas.

Normalmente essa modalidade é necessária quando a prestadora contratada pela sua empresa não realiza grande parte do percurso, ao mesmo tempo em que a terceirizada contratada por ela só abrange determinada região. Sendo assim, é necessário contar com outro parceiro, que fará a ligação entre ambas.

Vale lembrar que no redespacho intermediário podem haver 3 ou mais transportadoras envolvidas. 


CT-e do Redespachante

Emitente do CT-e: Transportadora A (22222222222222)Início e término da prestação: De Piracicaba-SP até Maringá-PRRemetente (Tomador): Indústria X  (11111111111111)Destinatário: Indústria Y (55555555555555)Recebedor: Transportadora B (33333333333333)Tipo de Serviço: Normal 


CT-e do Redespachado Intermediário

Emitente do CT-e: Transportadora B (33333333333333)Início e término da prestação: De São Paulo-SP até Curitiba-PRRemetente: N/ADestinatário: N/AExpedidor (Tomador): Transportadora A (22222222222222)

Recebedor: Transportadora C (44444444444444)Tipo de Serviço: Redespacho IntermediárioDocumento Anterior: Transportadora A (22222222222222)Chave de acesso do CT-e referenciado (redespachante) : Chave do CT-e emitido pelo Redespachante

 

CT-e do Redespachado

Emitente do CT-e: Transportadora C (44444444444444)Início e término da prestação: De Curitiba-PR até Maringá-PRRemetente: Indústria X  (11111111111111)Destinatário: Indústria Y (55555555555555)Expedidor (Tomador): Transportadora B (33333333333333)Tipo de Serviço: RedespachoDocumento Anterior: Transportadora B (33333333333333)Chave de acesso do CT-e referenciado (redespachante intermediário) : Chave do CT-e emitido pelo Redespachante Intermediário


Dacte

O Dacte deve acompanhar a carga deste o início da prestação até o destino final. Neste caso como se tratam de três CT-e's, os três devem acompanhar a carga.

fontes:




8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page